segunda-feira, 1 de junho de 2009

sem título e final ruim

E quando colocou a chave na fechadura, lembrou da primeira vez que estiveram ali juntos. E quando sentou no sofá, foi como se vivesse de novo aquela tarde em que assistiram um filme clichêzinho juntos, embaixo das cobertas, chuva e chocolate quente. E quando tirou os sapatos, sentiu aquele alívio que queria pro seu coração naquela hora. E quando foi até a varanda, viu as luzes da cidade e queriam que elas a invadisse. E chorou de novo, soluçou, o peito doeu, quis sumir.
Aí o turbilhão de imagens, promessas, sentimentos e frases inacabadas.
Foi até a cozinha e abriu uma garrafa de vinho, secou-a, foi no banheiro, abriu o chuveiro e deixou a água fria se misturar com suas lágrimas quentes e percorrer seu corpo ainda vestido. Parecia estar se lavando do mesmo modo que gritava sempre: por dentro.
Abraçou a insanidade.
Jogou-a fora e se recompoz.
No meio disso tudo as únicas coisas que passavam pela sua cabeça: Nunca mais abrir a porta - de sua casa e de sua vida - pra ele. Nunca mais tentar ter um final feliz de filme clichê. Nunca mais calçar seu coração com sapatos apertados.


"E percebeu que mais uma vez foi má com ela mesma. E que o que mais criticava, no caso a falta de honestidade, faltava agora também consigo mesma..."

6 comentários:

Flávia disse...

Não acredito! <3
Amável *-*
Com as devidas modificações ficou esplendoroso!

Leane disse...

*_*
eu sempre encontro coisas maraaaaaaaa por aqui.
Desgraçadavaiescreverbemassimlánaconchinchina!
bjs.

6ui disse...

*-*

eu não sei mais como te elogiar..

MicheleM disse...

te amo quando leio seu blog

G. disse...

"Nunca mais calçar seu coração com sapatos apertados."

Amei essa frase, deu até inveja, rs.
Intenso esse seu texto, muito bonito!

Obrigada pelo seu comentário. Volte sempre, que você será muito bem-vinda!

Michele disse...

Aqui estou eu manifestando minha revolta ao voltar de novo ao seu blog e ele mais uma vez permanecendo desatualizado, desgraçada.